O prefeito Rafael Greca e a secretária municipal da Saúde, Márcia Huçulak, reabriram a UPA CIC, na tarde desta quinta-feira (16/8). Às 19 horas, a unidade iniciou o atendimento à população.

Greca iniciou discurso com um pedido especial para os participantes: “Digam comigo: abram as portas da UPA CIC.” Emocionado, o prefeito pontuou os percalços e as batalhas judiciais ocorridas durante o processo de reabertura da unidade.

“Forças do atraso tentaram nos impedir. Mas estamos aqui para dizer a todos que queriam que isso não acontecesse: ‘xô tranqueira’. Estávamos de mãos amarradas, mas fomos buscar uma sentença no Tribunal Superior do Trabalho”, explicou ele, ao lado da primeira-dama, Margarita Sansone.

Greca também fez menção ao Dia de São Roque (16 de agosto), santo protetor das vítimas das pestes, e compartilhou a alegria de entregar a unidade aos curitibanos. “Transborda o meu coração em servir o povo, a terra, a gente de Curitiba. Erga-se Curitiba para a saúde, para a alegria. Abri-vos, portas e janelas, para que entre o ar da saúde, para que seja espantada a dor, para que vá embora a angústia e para que vença sempre a alegria verdadeira. Como é doce viver em Curitiba”, afirmou.

A moradora da CIC Honorinda Moreira, 61 anos, acompanhou de perto a luta do prefeito para reabrir a unidade. “Ele fez o que pode. Lutou e venceu”, afirmou. “O prefeito batalhou muito e sempre nos deu muita atenção, durante todo o processo”, reconheceu a amiga dela, Maria Aparecida da Solva, 40 anos.

Maria Madalena dos Reis, 48 anos, separadora de materiais recicláveis do programa Ecocidadão, contou que, sem a UPA da CIC, já precisou ir até a unidade do Fazendinha de ônibus, levando 40 minutos no trajeto. “Agora ficamos mais seguros com a UPA aqui no nosso bairro”, disse.

Moradora da região, a aposentada Lenita Gonçalves, 58 anos, acompanhou a cerimônia e contou que está aliviada de não precisar mais ir até a UPA do Fazendinha, a unidade mais próxima de sua casa, para ser atendida. “Agora é bem mais perto. Se tivermos alguma emergência podemos vir à UPA CIC”, afirmou. Com funcionamento 24 horas, a UPA CIC é voltada aos casos de urgência e emergência, em que há risco de vida.

Participaram da cerimônia o vice-prefeito Eduardo Pimentel, o presidente do Conselho Municipal de Saúde, Adilson Tremura, o diretor de operações do Instituto Nacional Ciências da Saúde (INCS), João Gilberto Rocha, vereadores, administradores regionais e supervisores de distrito sanitário.

Novo modelo

Com capacidade para realizar até 450 atendimentos por dia, a UPA CIC reforça a rede de urgência e emergência no Sul da cidade. Esta é a nona UPA de Curitiba e a primeira a funcionar em um novo modelo, com gerenciamento realizado por uma organização social (OS).

O novo modelo traz uma economia mensal de R$ 408.651,00 aos cofres municipais. O custo mensal da OS será de R$ 1.697.200,00 – 19,5% a menos que no modelo tradicional aplicado na cidade.

Outra vantagem é a celeridade na contração de funcionários, serviços e compra de materiais e insumos, o que permite adequar mais rapidamente a estrutura do serviço à demanda do momento por atendimento.

Reforma

Foram investidos R$ 300 mil na reforma da unidade de 1.814 metros quadrados, incluindo completa revisão elétrica e hidráulica, pintura geral interna e externa, revisão da cobertura, substituição de esquadrias de alumínio, troca do piso, instalação de cerâmica, recuperação dos portões e grades, aberturas de vão em portas para garantir acessibilidade, adequação de pontos de água e esgoto e a instalação de barras para acessibilidades.