A Companhia de Habitação Popular de Curitiba (Cohab) completou 53 anos de fundação na terça-feira, dia 8/5. Criado em 1965, o órgão responsável pela política habitacional do município contabiliza, neste período, 139.110 unidades, entre lotes, casas, sobrados e apartamentos. O número representa 22% do total de moradias da cidade.

“A Cohab tem um trabalho muito bonito de assegurar moradia para a população que mais necessita. A história da companhia mostra superação nos momentos de maiores dificuldades e agora não será diferente. Com criatividade seguiremos inovando”, afirma o prefeito Rafael Greca.

Em março deste ano, Curitiba ganhou as primeiras moradias populares com painéis fotovoltaicos, que transformam a luz solar em energia elétrica para uso doméstico. As casas do Moradias Faxinal, no Santa Cândida, foram entregues com os painéis que vão auxiliar as famílias a economizar, além de colaborar com o meio ambiente.

“Valorizamos o passado, mas os olhos de nossa gestão são voltados para o futuro. A Cohab Solar veio para ficar. O uso de uma energia limpa e renovável vem ao encontro da Curitiba que sonhamos. Uma Curitiba que respeita seu povo e também o planeta onde vivemos”, destaca Greca.

Desafios

Nos últimos anos, todas as grandes cidades estão enfrentando muitas dificuldades no setor de habitação popular, devido à crise econômica e a estagnação do programa Minha Casa Minha Vida, do governo federal.

Na segunda-feira (7/5), em reunião com prefeitos e representantes de organismos financiadores internacionais – como Banco Mundial, Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e Agência Francesa de Desenvolvimento – Greca defendeu a criação de linhas de financiamento federal para as famílias que não estão conseguindo atendimento pelo Minha Casa Minha Vida.

“Os investimentos federais em habitação para a população de baixíssima renda são escassos, é necessário criar alternativas para atender os menos favorecidos. É urgente a implantação de um financiamento federal para famílias que não têm renda fixa, pois, as opções encontradas hoje no programa Minha Casa Minha Vida não estão contemplando as camadas mais carentes da população”, destacou o prefeito.

História

Na época da fundação da Cohab, Curitiba tinha pouco mais de 400 mil habitantes, mas já começava a enfrentar problemas relacionados à moradia. Surgiam as primeiras ocupações irregulares, com famílias vivendo de maneira precária. Para atendê-las a Cohab lançou seu primeiro projeto: a Vila Nossa Senhora da Luz, na CIC, com 2.100 casas.

De lá para cá foram construídos mais de 700 empreendimentos habitacionais, em 40 dos 75 bairros da capital. “Bairros como a CIC na década de 70, o Sítio Cercado na de 90 e o Tatuquara nos anos 2000 foram impulsionados pela produção da Cohab”, explica o presidente da companhia, José Lupion Neto.

Além da produção de moradias, outro trabalho relevante da Cohab é a regularização fundiária. Urbanizar e regularizar ocupações para garantir melhores condições de vida e a titularidade dos terrenos aos moradores. Mais de 26 mil lotes foram regularizados pela atuação do órgão em sua história.