Cinema itinerante com energia renovável
chega ao interior

No dia 20 de novembro, quarta-feira, o Cinesolar, com patrocínio da BV, marca de Varejo do Banco Votorantim, através da Lei de Incentivo à Cultura, vai pegar estrada rumo a Guarapuava, com o objetivo de levar a sétima arte aos vilarejos e comunidades afastadas e com pouco acesso a projetos culturais. Esse tipo de cinema solar é pioneiro no Brasil e consiste em uma van equipada com placas solares que possibilitam, através de um sistema conversor de energia solar para a elétrica, a mostra de filmes e apresentações artísticas em espaços públicos, com entrada gratuita.

Cada localidade receberá uma oficina de vídeo com abordagem de técnicas básicas de atuação, gravação e roteirização, denominada Oficinema Solar. Abordando temáticas ambientais e locais, o filme é produzido pelos participantes e exibido na mesma noite, durante a sessão de cinema. À noite, acontecerão duas sessões de cinema, sendo a primeira às 19 horas, com mostra de curtas metragens com temáticas ambientais. A segunda com uma programação que inicia às 20h, exibindo o filme da Turma da Mônica – Laços. As sessões acontecem no Centro de Artes e Esportes Unificados – Ceu das Artes.

Cada localidade receberá uma oficina de vídeo com abordagem de técnicas básicas de atuação, gravação e roteirização, denominada Oficinema Solar.

O Cinesolar utiliza energia limpa e renovável para exibir os filmes, unindo arte, cinema e sustentabilidade. No interior do veículo há 100 assentos para o público, telão com metragem de 200 polegadas, sistema de projeção e som, e até um estúdio de gravação. Quando chegam às cidades tudo é retirado da van e o cinema é montado em lugares como praças públicas e quadras esportivas, principalmente em regiões carentes da periferia do Brasil e até mesmo cidades que não têm energia elétrica.

A iniciativa conta com ações conjuntas com a Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO) para a disseminação dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).  Atualmente, o projeto itinerante já percorreu mais de 120 mil km exibindo curtas e longas-metragens de várias temas e realizando oficinas práticas de audiovisual.

“Estamos em um momento importante para o mercado de energia solar no país e a BV possui uma linha de crédito para financiamento específica para torná-la mais acessível aos brasileiros. Dessa forma, apoiamos o projeto Cinesolar, que demonstra o potencial da energia solar através da cultura”, explica Tiago Soares, gerente de Sustentabilidade e Patrocínio do Banco Votorantim.  

Desde o início das atividades, em 2013, CINESOLAR, em seus diversos circuitos, realizou cerca de mil sessões com a exibição de mais de 100 filmes, entre curtas-metragens (de temática socioambiental) e longas em 345 cidades do País, percorrendo mais de 100 mil quilômetros e chegando a 160 mil pessoas, além de mais de 300 oficinemas, com um total de cerca de 9 mil participantes. “Nesse período, foram economizados mais de 2400 kW de energia elétrica, equivalentes a cerca de 7 mil horas de uma geladeira ligada sem interrupções.” diz Cynthia Alario, idealizadora e coordenadora do projeto.

O Cinesolar é realizado através da Lei de Incentivo à Cultura, tem o patrocínio da BV, apoio local da prefeitura municial e a realização da Brazucah Produções, Ministério da Cidadania e Governo Federal.

A lista de apoiadores que contribuem para a execução do projeto também é grande: SICES SOLAR, Elektra MOTORS, Heliar, AT Consultoria Cultural, Raízes, Surya Brasil, Impact Hub, Simbora, Ecooar, RBS Magazine, Cooperação Alemã, Giz, Ideal, Bioqualitta, UFSC, Project Hub, Mãe Terra, Bio2, Biowash, World Solar Cinema e Fund Doen.

A SICES SOLAR é a patrocinadora do sistema solar do cinema móvel, que é composto por baterias estacionárias Freedom da Heliar que são utilizadas no sistema de back-up de energia solar, as baterias são acionadas para sustentar a energia demandada pelas sessões de cinema. Já a Mãe Terra, a Biowash e o Bio2 cedem produtos para serem distribuídos durante as sessões. O projeto conta também com o apoio do Solar World Cinema; da fundação Holandesa Doen, promotora da sustentabilidade, cultura e inovação social; e, desde 2015, com a parceria da Ecooar, que cuida da compensação de carbono do projeto: em todas as sessões uma árvore é plantada em uma área de reflorestamento no interior de São Paulo.