A Casa Kozák, unidade da Fundação Cultural de Curitiba, retoma suas atividades na próxima quinta-feira (22). Fechado desde 2011, o espaço foi reformado e ampliado para funcionar como centro cultural do bairro Uberaba. O local contará com biblioteca e será destinado a cursos e atividades culturais programadas de acordo com as demandas da comunidade.
Na quinta-feira, às 19h, será aberta a exposição “Ubiquidade”, com trabalhos de artistas dos ateliês do Centro de Criatividade de Curitiba, que foram convidados a expor no novo centro cultural. São desenhos e pinturas, além de trabalhos em cerâmica, encadernação, entalhe, marchetaria, mosaico e restauro em madeira. Localizada na rua Padre Júlio Saavedra, 588, a Casa já estará aberta ao público na sexta-feira (23).


Reforma
– A obra, com custo total de R$ 362.118,28, teve início em janeiro e foi concluída no prazo previsto de seis meses. A reforma incluiu a reconstituição de toda a estrutura de madeira, com substituição do piso, esquadrias e telhado, e também a renovação dos sistemas elétrico, hidráulico, de lógica e telefonia. A casa passou a contar com sistema de prevenção de incêndio, estrutura de acessibilidade para deficientes físicos, estacionamento para quatro veículos e bicicletário.

No terreno, de 849 metros quadrados, foi construído um anexo, com banheiros, copa e área de serviço, além de um deck que pode ser utilizado para eventos ao ar livre. Internamente, a casa abriga a biblioteca e salas de leitura. “As características originais da casa foram mantidas, ainda que não seja oficialmente uma Unidade de Interesse de Preservação (UIP)”, explica a arquiteta Doris Teixeira, responsável pelo projeto arquitetônico de reforma.

O imóvel, que foi residência do pesquisador, indigenista e cineasta Vladimir Kozák, pertencia à Secretaria de Estado da Cultura e era utilizado pela Fundação Cultural por meio de um convênio. Foi repassado definitivamente ao município em dezembro de 2013. A própria Prefeitura solicitou a doação com o intuito de recuperar a casa e reativar a biblioteca. O processo de registro em cartório foi concluído em dezembro de 2014.


Pesquisador e cineasta
– Vladimir Kozák viveu no bairro Uberaba até a sua morte, em 1979, deixando naquela casa todo o acervo que reuniu ao longo de sua vida, num total de 44 mil itens entre objetos pessoais, fotografias e filmes documentários sobre os índios e a cultura popular brasileira. Esse acervo encontra-se atualmente no Museu Paranaense. Como não tinha herdeiros, após a sua morte, aos 81 anos, o imóvel ficou sob a custódia do Estado.

Nascido na antiga Tchecoslováquia, Kozák veio para o Brasil em 1928 e se instalou em Curitiba dez anos depois, passando a registrar, como fotógrafo e cinegrafista, as expedições científicas de antropólogos e pesquisadores paranaenses. Por sua própria conta realizou inúmeras outras expedições, especialmente com o intuito de estudar e descrever os índios Xetá, grupo indígena até então desconhecido que habitava a região da Serra dos Dourados (noroeste do Paraná). A qualidade técnica de todo esse acervo é admirada pelos especialistas da área.

Serviço:
Reabertura da Casa Kozák
Local: R. Padre Júlio Saavedra, 588 – Uberaba
Data e horário: 22 de setembro de 2016 (quinta-feira), às 19h