Autor: GB

Detran leva seus serviços à Regional CIC

Na Rua da Cidadania da CIC, na manhã desta quarta-feira, dia 22, foi inaugurado o serviço de totens de autoatendimento do Detran (Departamento de Trânsito do Paraná). Esta iniciativa é uma parceria entre a Prefeitura de Curitiba e o Governo do Estado. Com possibilidade inicial de acesso a 20 serviços de habilitação de trânsito e de veículos, além de seis funcionalidades da Copel e pagamento de taxas, os serviços do Detran incluem agendamento de exames e cursos de reciclagem, 2ª Via da CNH e licenciamento; cancelamento de agendamento do curso de reciclagem; solicitação de carteira de habilitação definitiva; consulta de resultado de exame, envio CNH e licenciamento; emissão de guia de multa, extrato de débitos e multas pagas; emissão de guia de reteste de exames. Além destes, oferecem também a possibilidade de pagamentos de multas, de guias de habilitação, veículos e licenciamento; solicitação da permissão internacional para dirigir (PID); consulta de pontuação da CNH e a renovação do documento de habilitação. Para o diretor ¬geral do Detran, Marcos Traad, a instalação do terminal de autoatendimento representa mais uma facilidade para a população, de grande importância para o melhor atendimento a todos os cidadãos que passam pela Rua da Cidadania do CIC. Uma comodidade ao cidadão, que não precisa mais ir até ao Detran. Recebendo o serviço em sua regional, o Administrador Raphael Keiji, o novo serviço é mais uma...

Veja mais

O Dono das Bancas

Os quadrinhos nacionais tem um expoente de causar inveja ao mercado internacional. Seu nome se confunde com o mercado nacional de quadrinhos, além de ser publicado em vários países, Maurício de Sousa. Repórter de jornal, Maurício cobria espaços no diário com suas tiras de quadrinhos, foi quando reuniu vocação e paixão. Passou a circular pelas cidades da região de Mogi das Cruzes de ônibus para oferecer suas tiras a jornais. Tentou produzir quadrinhos convencionais quando por orientação do editor Jayme Cortez focou nos infantis. Teve uma primeira revista em 1960, Bidu, com compilação de tiras pela editora paulistana Continental, sem sucesso comercial. Inspirado pelo mercado americano criou uma agência distribuidora de tiras no Brasil, para trabalhos seus e de outros artistas. Passou por grandes editoras desde 1970, Abril, Globo e atualmente Panini. Suas vendas no Brasil superam os blockbusters americanos nos EUA. Declarou que seu personagem baseado no Ronaldinho Gaúcho é o mais lido no Mundo. Em 2008 tornou seus personagens adolescentes em estilo mangá, o maior sucesso atual de vendas em bancas brasileiras. Em 2012 foi a vez de lançar seus personagens com abordagem adulta por autores diversos do mercado nacional. Além dos quadrinhos, seus personagens figuram na TV, teatro, cinema, franchising de produtos alimentícios, vestuário e brinquedos. Com mais de 80 anos, Maurício continua em atividade e não para de inovar. Lista de revistas com trabalhos de...

Veja mais

Museu Oscar Niemeyer inaugura mostra com obras ligadas ao sagrado

O público do Museu Oscar Niemeyer (MON) pode conferir a partir desta sexta-feira (2) a exposição “Na oração, que desaterra… a terra, – Em honra ao sagrado”, com curadoria de Agnaldo Farias. O título foi inspirado no poema Mortal Loucura, de Gregório de Matos (1636-1695). A mostra é composta por 11 obras de Arcângelo Ianelli, Daniel Senise, Domenico Serio Calabrone, Dudi Maia Rosa, Francisco Faria, Emanoel Araújo, Elizabeth Titton, Manoel Veiga, Masao Yamamoto e Tomie Ohtake, além da tela Nossa Senhora da Candelária, final do século XVII – início do século XVIII, de autoria desconhecida, recém-doada por um patrono do MON. CONCEITO – A exposição trata do eterno confronto entre o homem, ser ínfimo e vertical, com a imensidão do universo. Aflição ancestral que ele desde sempre tenta amenizar, construindo monumentos, louvando objetos, entoando mantras e orações em honra aos seus deuses, formas de ligar-se ou religar-se (daí a palavra religião) a eles. “O peso das civilizações não eliminou o fascínio dos fenômenos elementares: as tempestades, o céu despedaçando-se em trovões e cordas d’água, o dia despedindo-se para a chegada da noite. E o leitor haverá de lembrar a primeira vez que viu o mar ou, antes disso, de suas infrutíferas tentativas de compreendê-lo”, analisa o curador do Museu Oscar Niemeyer, Agnaldo Farias, também curador da mostra. O secretário de Estado da Cultura, João Luiz Fiani, explica que a...

Veja mais