A volta às aulas de 2022 é umas das mais esperadas de todos os tempos. Afinal, depois de 2 anos de ensino remoto, finalmente a maioria das crianças e adolescentes deve voltar para o ensino presencial nos próximos dias.
Apesar da expectativa e da alegria desse momento, existe um aspecto que não chama muito a atenção dos pais, mas deveria! Por isso, vamos falar sobre a mochila escolar e como ela pode prejudicar a coluna e outras partes do corpo das crianças e adolescentes.
Vamos falar um pouco sobre as informações e orientações da fisioterapeuta Walkíria Brunetti, especialista em RPG e Pilates.
Antes de tudo o alerta de que o problema mais crítico das mochilas é o peso e logo em seguida vem a forma de carregar a mochila
Claro, peso acima do que seria o recomendado. A conta é muito simples: a mochila deve pesar até 10% do peso de quem a carrega.
Quando ao “ jeito” correto de carregar a mochila é “vestir” ela e pronto.
Nada de pendurar num ombro só. Isto, ao longo do tempo, pode causar curvaturas anormais na coluna, desenvolvimento de uma cifose, lordose, bem como o agravamento da escoliose em quem já tem. Por fim vem o desalinhamento do eixo corporal.
Outra orientação da doutora: “Sempre que a criança aceitar, os pais devem investir na mochila com rodinhas”.
Problemas musculoesqueléticos que surgem no final da adolescência e na juventude podem ser resultado dos vícios posturais da infância.