A obra ‘O Alienista’, de Machado de Assis, abordando a loucura humana e a discussão dos limites entre a razão e a loucura, foi para muitos, o ápice da discussão sobre o tema abordado nesta celebre obra. Desde então, o tema foi muito repetido e discutido nas mais diversas formas. Mas, quando chega na direção das artes visuais, a referência tem sido o pensamento de Arthur Bispo do Rosário entre as diversas interpretações.

Neste sentido, vale destacar neste momento o documentário “A Loucura Entre Nós”, dirigido por Fernanda Vareille. Nele são tratados com profundidade os aspectos das fronteiras entre razão/loucura; e a arte dos considerados “normais” e dos chamados “loucos”. Sem deixar de mostrar a presença constante da dor e do sofrimento destas pessoas em suas caminhadas. O tema é abordado com muita inteligência e refinamento artístico.

Trabalho de filmagens realizadas por Fernanda no convívio de três anos no Hospital Psiquiátrico Juliano Moreira, em Salvador, BA. O filme é também baseado no livro do médico psiquiatra Marcelo Veras, que tem o mesmo nome. O documentário registra também o trabalho da ONG Criamundo, que realizava diversas atividades entre os internos.

Para o mestre em Artes Visuais, doutor em Educação, Arte e História da Cultura e Gerente de Comunicação e Marketing da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, Oscar D’Ambrosio: “O resultado cativa. Um dos motivos é Leonor. Sua produção plástica merece um olhar atento. Ela diz sofrer de transtorno bipolar e é mostrada tanto em depressivos momentos de densa reflexão sobre a existência como de perturbadora euforia. A triste informação de que cometeu suicídio, nesse panorama, infelizmente não surpreende, e ganha ainda mais significado quando aliada à imortal força das pinturas e desenhos que produziu”.