A Apras (Associação Paranaense de Supermercados) aderiu à Campanha “10 Medidas Contra a Corrupção”, idealizada pelo Ministério Público por iniciativa dos procuradores da República que integram a força-tarefa da Operação Lava Jato. A ação tem como objetivo conseguir 1,5 milhão de assinaturas em todo o país para poder alterar a legislação, evitar o desvio de recursos públicos e, assim, garantir mais transparência, celeridade e eficiência ao trabalho do Ministério Público Brasileiro.
Os supermercadistas de todo o Paraná podem solicitar a ficha de colheita de assinaturas para a Apras e disponibilizar aos funcionários e clientes das lojas. As assinaturas podem dar origem a um projeto de iniciativa popular e, mesmo que algum parlamentar proponha as medidas, o abaixo-assinado será muito importante para a manifestação de apoio à aprovação no Congresso.
Segundo o presidente da Apras, Pedro Joanir Zonta, esta campanha é de suma importância para que o Brasil volte a ter mais credibilidade e que as leis sejam cumpridas. “Não podemos deixar que nosso país continue como está, precisamos nos unir e contribuir para que ‘As 10 Medidas Contra a Corrupção’ atinja o seu objetivo, pois só assim conseguiremos superar esta crise política que está destruindo a economia brasileira”, afirma.
Zonta espera uma adesão maciça do setor supermercadista e se compromete em entregar as assinaturas coletadas nas mãos do Procurador da República Dr. Dalton Dallanhol, durante a palestra que irá ministrar no primeiro dia da Feira Mercosuper, que acontece de 12 a 14 de abril, no Expotrade Pinhais.

As 10 Medidas Contra a Corrupção
1) Prevenção à corrupção, transparência e proteção à fonte de informação;
2) Criminalização do enriquecimento ilícito de agentes públicos;
3) Aumento das penas e crime hediondo para corrupção de altos valores;
4) Aumento da eficiência e da justiça dos recursos no processo penal;
5) Celeridade nas ações de improbidade administrativa;
6) Reforma no sistema de prescrição penal;
7) Ajustes nas nulidades penais;
8) Responsabilização dos partidos políticos e criminalização do caixa 2;
9) Prisão preventiva para evitar a dissipação do dinheiro desviado;
10) Recuperação do lucro derivado do crime.
Os interessados em participar da campanha podem entrar em contato pelo e-mail [email protected] ou pelo telefone (41) 3263.7000.