Jornalista Humberto Schvabe

Depois do alerta de cinco ocorrências no início do ano, de assaltos a ônibus de turismo, com mortes, a polícia anunciou que vai intensificar a fiscalização nas estradas do Paraná.
Alerta ainda que concentrará sua ação na região Norte, visando combater assaltos a ônibus de sacoleiros. Assim fica fácil para os marginais. Vão agindo impunemente, aproveitando o pouco policiamento, e quando a polícia resolve atacar com mais força, concentrar sua ação, ao invés de sair para o trabalho, chama a imprensa a anuncia onde como vai agir.
Mesmo sabendo que de segurança só entendo de como me proteger (e ainda com alguma deficiência), não tenho o menor temor de criticar atitudes como esta. E tem mais, é muito fácil eu, você, ou qualquer bandido menos informado entender que quando a polícia se concentra numa “operação”, os policiais vão ser remanejados, o que significa que os demais setores ficarão ainda mais desguarnecidos.
Coisa simples, primária, mas por pressão política ou até mesmo da “reportagem policial” a gente sabe que a polícia fica pressionada e tem de “responder” de maneira a oferecer mais “argumentos” aos políticos e possibilidade de os noticiários sensacionalistas repetirem a notícia sensacional.
E nisto vai o tempo de representantes da PM, da Polícia Civil, da Polícia Rodoviária Estadual (PRE) e até da Polícia Rodoviária Federal (PRF) para reuniões e reuniões e entrevistas.
Ai vem nomes bonitos como a ideia de estender a operação “Bloqueios Coordenados para as rodovias federais. Secretário prometendo integração que a gente sabe não existir.
Agora vamos assistir, durante alguns dias, o aumento de bloqueios nas rodovias, revistas em veículos em busca de armas, drogas e motoristas alcoolizados e “estudar” a instalação de câmeras de segurança a cada determinada quilometragem.
Prá encerrar esta “conversa” é bom também lembrar que esta movimentação vai durar o tempo que demorar o aparecimento de outra tragédia que venha de novo chamar a atenção com maior intensidade. Esqueceremos o problema dos ônibus de turismo e vamos para outro.