Com 20 anos de atuação, Trupe da Saúde tem o objetivo de gerar mudanças no ambiente hospitalar, com intervenções artísticas que improvisam com humor, poesia e música. Durante pandemia, são realizadas atividades online

A Trupe da Saúde, grupo de palhaçaria profissional que completa 20 anos em 2020, lançou o primeiro podcast do Brasil feito por palhaças e palhaços que atuam em hospitais. A estreia do programa Trupecaste aconteceu em março, e coincidiu com a chegada da pandemia do novo coronavírus no Brasil. O objetivo é falar mais sobre o trabalho desenvolvido pela equipe, desde os bastidores das idas aos hospitais até o compartilhamento de histórias vividas pelo grupo nas visitas. Cada episódio aborda um tema diferente do universo da palhaçaria hospitalar e do trabalho realizado pelo grupo na interface entre arte e saúde.

Além disso, o grupo realiza quinzenalmente lives no Facebook da Trupe da Saúde, por meio do qual qualquer pessoa pode assistir e interagir. 

No período de quarentena, quando não é possível realizar os encontros presenciais, a equipe vem buscando novos caminhos para se conectar com seu público, com o intuito de, mesmo de longe, levar alívio aos pacientes, familiares e profissionais da saúde. “É um desafio, porque trabalhamos com improviso diante do que nos espera nos encontros presenciais; nossa interação depende do que sentimos do ambiente hospitalar e respondemos de acordo com o que a situação pede e permite que seja feito: dependendo do estado emocional e de saúde, muitas vezes a alegria pode ser um tanto violenta num contexto de quarto de hospital”, comenta o coordenador artístico Hique Veiga. Ele ressalta a importância de haver profissionais capacitados e bem instruídos para a atividade. “Às vezes, uma música, um olhar, um silêncio é o que mais cabe em um quarto de hospital. O profissional precisa saber perceber isso”, conta. Todos os palhaços e palhaças da Trupe são profissionais formados, passam por um processo seletivo e recebem treinamentos na área.

A ideia de produzir um podcast surgiu em 2018, da vontade de se aproximar mais das pessoas impactadas pelo projeto; o que se tornou indispensável na atual dinâmica social. “Nosso intuito sempre foi oferecer uma possibilidade extra de contato com a Trupe, como escutar as palhaças e palhaços após uma visita, matar as saudades, rir junto, estreitar nosso vínculo com as pessoas que conhecemos durante o trabalho e mesmo nos apresentar um pouquinho mais”, conta Yara Rossatto, a palhaça Solara. “Com a pandemia e a transposição do nosso trabalho presencial para home office, o podcast ganha outra dimensão. Dividindo espaço com outros ações da Trupe, o Trupecaste passou a ser uma das formas possíveis da Trupe se fazer presente, mesmo que afastada temporariamente dos hospitais”. 

Além de podcast e lives, os artistas da Trupe mantém proximidade dos pacientes por meio do blog. Nos relatos e poesias da página, as palhaças e os palhaços refletem sobre o universo da palhaçaria, sobre os encontros nos hospitais e sobre a pandemia. Os textos são compartilhados nas redes do projeto e servem como inspiração para pautas do podcast. “Buscamos a todo momento ser mais efetivos no contato com o público, e entendendo esta nova dinâmica”, completa Rossatto. Os interessados em ouvir o Trupecaste podem encontrar o canal no Deezer, Spotify, Apple e Google Podcast.

Lives 

A série de lives chamada Sala de Espera, é realizada quinzenalmente na página da Trupe da Saúde no Facebook. Os encontros abordam os mais diversos temas, como culinária, artesanato, saúde, hidroginástica, entre outros. O próximo programa será realizado na próxima sexta-feira (26), às 15h, sobre inovações tecnológicas da comunicação.

Sobre a Trupe da Saúde

A Trupe da Saúde atua desde 2000, levando a arte da palhaçaria, do improviso e da música a cinco hospitais de Curitiba. O projeto conta com uma equipe de palhaças e palhaços profissionais que, por meio da interação e da relação com pacientes, acompanhantes e profissionais dos hospitais, busca provocar uma mudança no ambiente hospitalar. Os encontros apontam para uma transformação no ânimo de pacientes, maior colaboração e melhor relacionamento com a equipe médica, enfermagem e familiares. A iniciativa já impactou mais de 390 mil pessoas, entre pacientes de todas as idades e profissionais da saúde, nos 20 anos de atuação.

O projeto é realizado pela ONG Unicultura – Universidade Livre da Cultura, através da Lei de Incentivo à Cultura, Lei Rouanet, contando com patrocínio das empresas: Fertipar, Worker, BD, Saporiti do Brasil, Brose do Brasil e Unimed Curitiba e apoio da 5àSec e Kaiut Yoga.