Mais uma vez estamos diante das eleições para que possamos escolher os prefeitos, vice-prefeitos e vereadores. E é exatamente nestas ocasiões que os candidatos se fazem presentes com força total, batendo às nossas portas, enchendo as caixas destinadas aos Correios, para pedirem e implorarem nossos preciosos votos. Promessas difíceis de melhorias para o povo, são oferecidas pelos candidatos de partidos diversos, sem as mínimas condições das respectivas concretizações. Moro há anos aqui na CIC, e os problemas com segurança, saúde e educação, permanecem quase que na estaca zero! A poeira nos dias de estio e a lama nas épocas chuvosas, denunciam os políticos que foram eleitos pelos moradores nas eleições passadas. Geralmente estes elementos não fazem parte do nosso convívio diário, e surgem de uma hora para outra cumprimentando e sorrindo para uma população carente, que procuram sem cessar um “salvador” para seus problemas. E quando a campainha vibra ou o som das palmas ecoam em nossos lares, estão sempre acompanhados por um pedinte de votos ou por seus representantes que, na cara de pau estendem as mãos, pedindo clemências por todos os lados. É uma mendicância que passa de pais para filhos e quase não tem fim. Isto porque em nosso país a política é uma mãe generosa que tudo dá, àqueles que fazem-na triunfar e crescer. Um forasteiro, um tipo que nunca o vi, apareceu na rua onde moro apresentando sua campanha e seus benefícios, e dentre eles o tão propalado ASFALTO, POSTO POLICIAL, CRECHE e uma série de melhoramentos. O infeliz sabe que sua ficha não é limpa, mas, observando a impunidade que campeia, ele segue seu tortuoso caminho, porque sabe que as punições são raríssimas ou inexistentes. A corrida eleitoral começará pra valer depois do dia 06 de julho e se estenderá até o 07 de outubro. O segundo turno se houver ocorrerá em 28 de outubro. Aí haja paciência e saco, para suportar os horários políticos com suas bajulações. Não estou me referindo só aos candidatos a vereadores mais também , aos que buscam as prefeituras como cabides de empregos para si, e suas famílias que tecerão, os chamados nepotismos. As faixas gigantes anunciam: Prefeitura em Ação! E deixam no ar, ação de quê? Só se estas benfeitorias estão sendo realizadas nas áreas nobres ocupadas por eles. E os espertalhões só se criam, porque o povo brasileiro ainda vota por indicação e não por convicção partidária. O eleitorado admira as façanhas dos palhaços, dos profissionais da bola, dos estilistas de modas e assim por diante, sem contar com os líderes das torcidas organizadas que semeiam os crimes e as desordens aonde quer que estejam. Concluindo: não sabemos escolher os candidatos e, paro aqui para lembrar uma importante frase de um historiador, o nosso Capistrano de Abreu quando disse. “Na hora de votar, todo brasileiro tem que ter vergonha na cara “ para saber quem será seu representante nas mais diferentes Câmaras. Isto é um conselho, e uma advertência ao mesmo tempo. Quem tiver ouvidos para ouvir, ouça!

Vanelo36@yahoo.com.br