As ambições são contagiosas. Evite as pessoas ambiciosas, do contrário parte da febre delas o contaminará. Você pode começar a seguir em uma direção que não é a sua, pode começar a fazer coisas que nunca pensou em fazer, mas que fez apenas porque estava em companhia de alguém…
Olhe para sua vida: quase toda ela é acidental. Não é essencial, é acidental. Seu pai queria que você fosse médico, então você se tornou médico. Ele desejava que seu filho se tornasse um médico famoso; ele realizou a ambição dele. Usou você como um meio para realizar a ambição dele. Isso não é amor, é exploração.
A ambição está na raiz da loucura. Tente entender sua ambição: seu esforço para ser alguém no mundo irá deixá-lo louco. Tente apenas “ser ninguém” e você não terá mais problemas. Deixe de lado a ambição e comece a viver, porque a pessoa ambiciosa não consegue viver. Ela sempre deixa as coisas para depois. Sua vida real permanece no futuro, um futuro que nunca chega.
Uma pessoa ambiciosa irá tornar-se agressiva e violenta, e pessoas violentas e agressivas acabam ficando loucas.
Aqueles que não têm ambição estão em paz, cheios de amor e compaixão. Por outro lado, uma pessoa ambiciosa está sempre com pressa, com urgência, correndo em direção a algo que ela sente vagamente estar presente, mas que jamais irá encontrar. É como o horizonte: algo que não existe, apenas parece existir.
As pessoas que não são ambiciosas vivem aqui e agora, e viver o aqui e agora é ter sanidade, estar totalmente presente neste momento é ter sanidade.

Pedro da Costa é Quiropata e Livre-Pensador