Como meio de comunicação, o jornal além da função principal de informar, tem o compromisso maior de formar. Formar ou educar no sentido mais amplo, colaborando para que o leitor transforme sua vida em processo permanente de aprendizagem.

É, por exemplo, ajudar o jovem na construção da sua identidade, com informações corretas e construtivas visando oferecer opções para conduzir sua vida pessoal, familiar, profissional e social. Auxiliar em seus projetos e na compreensão da vida e do meio, para que possa encontrar o melhor caminho.
Este é hoje, meu principal foco como profissional de comunicação, assim como foi ao longo destes 35 anos em que me dediquei exclusivamente ao jornalismo, seja no rádio, na extensão (Emater), no cooperativismo, ou na internet. E por aqui, neste meu grade companheiro, que tudo registra e documenta, que é o jornal (Diário Popular – Diário do Paraná – Indústria e Comércio – Tribuna do Interior – Correio do Norte e a Gazeta do Bairro).
Que me desculpe o querido leitor, mas hoje quero deixar aqui neste espaço o registro da minha alegria em ter chegado aos 35 anos de jornalismo, da maneira com que cheguei. Depois do encontro com os colegas de turma no último sábado, dia 25 de maio, rememorando tantos momentos tinha de dividir esta alegria com você, que me acompanha aqui. Cheguei muito mais maduro, experiente, um pouco mais lento, mas sempre preservando e defendendo os ideais que me conduziram ao curso de Comunicação Social na década de 70. São 35 anos somando em busca do bem comum, construindo o possível,
sempre que possível, sem desistir jamais.
Posso por vezes titubear, mas nunca, jamais perder a vergonha na cara e a capacidade de me indignar.